segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Reações da pele à radiação solar

O site pesquisado abrange as reações da pele à radiação solar, o autor agrupa as reações em três categorias: Reações fisiológicas ou normais (dentre elas está incluída a síntese de vitamina D, que será o nosso assunto em foco), fotodermatose (reações que causam doença na pele e ) fotocarcinogênco( reações que desencadearam câncer .)

Disponível em: http://www.dermo.pt/pdfs/REACCOES_DA_PELE_A_RADIACAO_SOLAR.doc


A radiação UVB, através de reacções fotoquímicas, transforma o 7-dehidrocolesterol presente na pele, sobretudo na camada de Malpighi, em pré-vitamina D3, a qual origina, por isomerização, vitamina D3. Esta é transportada ao fígado e rim e convertida em compostos biologicamente activos, capazes de facilitar a absorção do cálcio na mucosa intestinal e as trocas deste mineral nos ossos. Quando a concentração de pré-vitamina D3 atinge uma percentagem de 10-15% do conteúdo de 7-dehidrocolesterol, verifica-se uma fotoisomerizaçäo que transforma aquela pré-vitamina em dois compostos biologicamente inertes, o lumisterol e o taquisterol, assim se prevenindo situações de hipervitaminose por exposição ao sol. No entanto, estas substâncias podem ser novamente convertidas em pré-vitamina D3, se a concentração desta baixar.
A síntese da vitamina D está diminuída nas pessoas com pigmentação constitucional mais acentuada e, naturalmente, quando as condições climáticas se caracterizam por fraco conteúdo de radiação solar, como acontece nos países nórdicos. A falta de exposição à radiação solar foi em tempos causa de raquitismo em crianças com dietas pouco equilibradas. Hoje, a quantidade de vitamina D presente na dieta dos países desenvolvidos é suficiente para preencher as necessidades diárias, não havendo motivo para se observar raquitismo por falta de radiação ultravioleta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário